Fiscalização do Trabalho

24 de janeiro de 2019 01:45
Compartilhar

O orçamento da fiscalização míngua ano a ano. O auge foi em 2017, quando mais de 70% dos recursos foram cortados, praticamente paralisando o combate ao trabalho escravo. Também diminuiu drasticamente o número de Auditores-Fiscais do Trabalho. São apenas 2.254 em atividade e há 1.390 cargos vagos na carreira. O congelamento de gastos impede o necessário ajuste no orçamento para o combate ao trabalho escravo e infantil e para a prevenção de acidentes de trabalho e a realização de concurso público para recomposição dos quadros.